Brooklyn: um lugar para visitar e se encontrar

Brooklyn era um lugar prioritário de visita desde que decidi ir para Nova Iorque. Ele é um dos cinco distritos (boroughts) da cidade é o condado (62 no total) mais populoso do estado de Nova Iorque. É rico em uma linda diversidade cultural facilmente identificada pelas ruas.

No dia que reservei para visitá-lo caía um pé d’água e ainda assim o passeio já foi incrível. Fico imaginando como deve ser então apreciar o local com um céu azul e grita em mim o desejo por voltar e descobrir.

O meu roteiro incluiu a região D.U.M.B.O (abreviação de “Down Under Manhattan Bridge Overpass”), que é a área mais famosa localizada debaixo da Manhattan Bridge, o Prospect Park, a maravilhosa feira Smorgasburg e o Jardim Botânico.

Brooklyn é um tesouro que remete à identidade negra, embora esteja sofrendo por um grande processo de gentrificação que está tornando tudo muito cool e menos autêntico. Um dia lá foi pouco e ainda assim o pouco que tive fez toda a diferença.

Enquanto estava lá verdadeiramente me senti em casa.

A cara de quem estava animadíssima na balsa para conhecer o Brooklyn.

Como eu chego?

Para chegar ao Brooklyn partindo de Manhattan você pode utilizar o metrô, a ferry (balsa) ou fazer a travessia a pé pela famosa Brooklyn Bridge.

De metrô

Para chegar a D.U.M.B.O, que é o primeiro e mais famoso bairro, você deve optar pela linha F Laranja e descer na estação York Street ou as linhas A e C Azul e descer na estação High Street.

Dica: em Nova Iorque é possível adquirir o passe do metrô para uso irrestrito por 7 dias entre todos os distritos da cidade por $32 ou o mensal que custa $121. Pode parecer um alto valor quando for realizar a conversão para o real, mas vale muito à pena.

A cidade é muito bem servida de várias estações de metrô para que poupe tempo (e também as pernas). Além disso, existe um app do metrô detalhando as estações, linhas e horários de funcionamento e a maioria das estações tem wifi, então utilizá-lo é bem fácil.

De ferry

Você pega a balsa ($2,75) no Pier 11 (na South Street entre a Wall Street e Gouveneur Lane). Para chegar lá de metrô, desça na estação Wall Street. D.U.M.B.O é logo a primeira parada da balsa, mas de qualquer modo eles anunciam a chegada. A balsa faz outras paradas em locais no Brooklyn, como por exemplo Williamsburg, caso seja do seu interesse.

À pé

Caso deseje seguir pela famosa ponte, dirija-se até o início dela de metrô pela linha Verde com os trens 4, 5 ou 6 descendo na estação Brooklyn Bridge City Hall. A ponte tem 2 km de extensão e o trajeto a pé leva de 30 min a 1 hora.

Recomendação: a dica é que opte ir de balsa para o Brooklyn e retornar a pé pela ponte (no fim do dia, apreciando o pôr do sol). Aproveitará o melhor dos dois visuais! Também há rumores de que a inclinação da ponte para o lado de Manhattan torna a caminhada mais leve.

Eu com meus sorrisos fixos no Jardim Botânico.

Onde é que vou dormir?

Meu passeio ao Brooklyn foi bate e volta, então não me hospedei no local (ficará para a próxima vez com certeza!).

Quando não conheço nenhuma hospedagem com conhecimento de causa, sempre recomendo que considere opções que sejam parte de alguma rede confiável ou que tenha uma boa reputação nas opiniões de outros usuários.

Sendo assim, poderia manter em mente: o Hampton Inn Brooklyn, Aloft Brooklyn e o EVEN Hotel Brooklyn na região central. Em Williamsburg, pode optar pelo POD Brooklyn e o Williamsburg Hotel.

Se prefere hostels, pode checar o Greenpoint YMCA Brooklyn, o International Students Residences e o NY Moore Hostel.

O que tem de bom?

O Brooklyn é um distrito diverso que reúne características distintas através de seus bairros. Como minha visita se limitou a um único dia não consegui explorá-lo como precisa (e merece), mas o que vi já me encantou.

D.U.M.B.O

Uma das regiões mais famosas, é a porta de entrada do distrito para quem vai de balsa ou pela ponte. Nesta área você encontrará uma coleção dos lugares famosos a visitar no distrito.

Brooklyn Bridge

Construída entre 1869 e 1883 em meio à muitas dificuldades, uma das mais famosas pontes liga Brooklyn a Manhattan cruzando o East River. É um importantíssimo símbolo do local e já foi nomeada um Marco Histórico Nacional.

Você pode atravessá-la de carro, bicicleta ou a pé e apreciar um visual belíssimo tanto de Manhattan quanto do Brooklyn.

Brooklyn Bridge Park

Endereço: 334 Furman Street – Brooklyn, NY 11201

Horário de funcionamento: No geral de 6h às 1h; os piers e quadras esportivas de 6h às 23h e playgrounds do amanhecer ao pôr do sol.

Preço: Gratuito

Um parque localizado às margens do East River embaixo da Brooklyn Bridge; caso vá para a região de balsa, você desembarca já dentro dele.

Você pode se jogar no gramado e tomar sol, caminhar, andar de bike ou aproveitar eventos como maratonas, shows, jogos, festivais de cinema e mais. Há armários e banheiros espalhados pelo parque para seu conforto.

Jane’s Carousel

Endereço: Old Dock St, Brooklyn, NY 11201, USA

Horário de funcionamento: Inverno (17 de setembro a 13 de maio) – terça à domingo 11h às 18h; Verão (14 de maio a 16 de setembro) – quarta à segunda de 11h às 19h.

Preço: US$2.00

Construído em 1922 pela Philadelphia Toboggan Company e está localizado entre as pontes do Brooklyn e de Manhattan às margens do East River; é possível acessá-lo pela Dock Street ou Main Street.

É um convite para voltar a ser criança!

Jane’s Carousel

Brooklyn Flea

Endereço: Debaixo do arco da Manhattan Bridge, D.U.M.B.O

Horário de funcionamento: 10h às 17h aos domingos de abril a outubro.

Preço: A visitação é gratuita, gasto somente com aquisições de produtos.

É uma feira de peças vintage, antiguidades, mobília, comida, roupas, acessórios e diversos itens que acontece aos fins de semana: aos sábados durante o ano inteiro em Williamsburg no Atlantic Center e de abril a outubro aos domingos ao ar livre em D.U.M.B.O.

Brooklyn Flea em D.U.M.B.O.

Foto com a Manhattan Bridge ao fundo

A clássica foto a ser tirada na região tem a Manhattan Bridge ao fundo e o ponto fica entre as ruas Washington e Water. É bem provável que precise esperar alguns minutos até conseguir uma fotografia sem outros turistas aparecendo também, mas para que a pressa em viagem, não é mesmo?

Além destes locais, talvez você se interesse também em provar um sorvete na Brooklyn Ice Cream Factory, caminhar pela Brooklyn Heights Promenade, tomar um chocolate quente na Jacques Torres Chocolate ou apreciar de uma pizza no Grimaldi’s ou no Juliana’s.

Prospect Park

Endereço: Brooklyn, NY 11225, USA

Horário de funcionamento: diariamente, de 5h às 1h.

Preço: Gratuito

Deixando D.U.M.B.O, meu destino seguinte era o Prospect Park. Utilizei o metrô até a estação final Franklin Avenue e na mesma plataforma peguei um trem shuttle para o Prospect Park.

É o segundo maior parque público de Brooklyn e data de 1867. Dentre as muitíssimas atividades para se realizar no Park estão caminhada, ciclismo, observação de pássaros, jogos ao ar livre, piqueniques, ioga, pesca e as atrações do calendário de eventos.

Meu interesse maior em visitar o Parque tinha um nome específico, porém:

Smorgasburg

É uma feira gastronômica que acontece aos sábados em Williamsburg e aos domingos no Prospect Park de abril a novembro de 11h às 18h. Apaixonada por comidinhas como sou, fiz questão de conhecer a feira debaixo da chuva e me deliciei com os quitutes de lá (com direito até a sorvete!).

Minha amiga provou as Truffle Fries do Home Frite, eu comi mozzarella sticks no Big Mozz e de sobremesa provamos os sorvetes do Bona Bona Ice Cream. Estava tudo delicioso demais! Recomendo muitíssimo para os amantes da gastronomia.

Smorgasburg

Jardim Botânico

Endereço: 990 Washington Ave, Brooklyn, NY 11225, USA

Horário de funcionamento: terça à domingo das 8h às 16h30min.

Preço: US$15 (gratuito às manhãs de sexta-feira)

Nossa última parada foi o Jardim Botânico porque era primavera e isso significa: cherry blossoms (ou cerejeiras japonesas). O tempo estava chuvoso atrapalhou um pouco, mas o lugar é tão incrivelmente lindo que só pude suspirar.

Uma atração famosa é jardim japonês Hill-and-Pond que reúne templos, bonsais, carpas e santuários; há também os jardins Cranford Rose, Water, Fragrance, Shakespeare, Herb, o Rock e muitos outros.

Há coleções de plantas para apreciação e pesquisas, também estufas que simulam condições climáticas para desenvolvimento de plantas desérticas, tropicais e temperadas e há ainda o Starr Bonsai Museum, um museu de antigas árvores Bonsai.

É um passeio delicioso que entrou no hall dos obrigatórios quando falo com alguém sobre o Brooklyn. Uma forma agradabilíssima de presentear nossos sentidos.

Dica: caso tenha adquirido o New York City Pass, o ingresso é gratuito.

Cherrys & Gabi no Jardim Botânico.

Williamsburg & Outros Bairros

Como já falei anteriormente, o Brooklyn é recheado de bairros interessantes a se visitar. Williamsburg tem uma vibe hipster com muitas galerias de arte e lojas de artesãos locais, apresentações de música indie, destilarias e uma vida noturna agitada.

Pode se interessar por visitar também Greenpoint, Fort Greene, Sunset Park, Bushwick, Flatbush e Carroll Gardens.

Um cházinho de realidade:

Brooklyn tem sofrido um processo de gentrificação há alguns anos e em consequência a realocação forçada de pessoas negras com menor poder aquisitivo. Como é abordada na série baseada no filme de mesmo nome She’s Gotta Have It de Spike Lee, o investimento financeiro na região alterou a forma como as relações se davam no distrito e se tornou uma ameaça à parte da comunidade negra até então predominante no local.

Brooklyn é um local de história e relevância para a comunidade negra que visita. Além disso, é um lugar que está em risco de gradualmente perder este legado e por isso é tão importante resgatar essa consciência.

A autenticidade do distrito é sem dúvidas o que mais chama a atenção nele ainda que seus elementos estejam mudando. O essencial é trabalhar para impedir que a comunidade negra que compôs e compõe o distrito seja esquecida neste processo, mas que ao invés seja lembrada pelo papel de destaque que merece.

Em busca de mais lugares para visitar nos Estados Unidos? Não deixe de conferir a postagem sobre Boston aqui no blog.

Banner para marketing de afiliados no blog Negra em Movimento.

Segurança: caso esteja pesquisando seguro viagem para sua próxima aventura, compre com a Seguros Promo.

Comprando com as empresas através desses links, você contribui com o blog sem pagar nada a mais por isso. Essa é a política do marketing de afiliados, em que produtores de conteúdo podem ganhar uma comissão a partir de associação com empresas específicas.