18 Formas de Economizar na Viagem

Foto capa da postagem sobre formas de economizar na viagem no blog Negra em Movimento.

Viajar é uma experiência incrível que se tornou objeto de desejo de muitas pessoas. Porém, em alguns casos, economizar na viagem pode ser a ação imperativa para que ela de fato possa acontecer.

Cada vez mais é deixada de lado a ideia de que só dá pra viajar com muita grana. Em resposta, desenvolvemos meios para fazer o possível com o que temos. Afinal, para viajar é necessário mais criatividade e iniciativa do que qualquer coisa.

Você duvida? Vou te apresentar uma listinha de dicas pra te convencer, chega mais:

Planeje-se

Há muita gente gritando aos sete ventos que gostaria de viajar, que gostaria de ter condições ou sorte para tal, mas apenas querer não é o suficiente. Precisamos fazer acontecer.

Viajar é um investimento que requer um planejamento financeiro como qualquer outro. Faça um levantamento de gastos que envolvam desde a documentação até uma previsão de despesas acidentais:

    • “Minha mala quebrou, socorro!”
    • “Meu anfitrião do Airbnb era um picareta, onde que vou dormir agora?”
  • “O cartão do banco tá bloqueado, vou ter que gastar minhas verdinhas em espécie!”

Definindo bem um orçamento, saberá o quanto de dinheiro precisará desembolsar para fazer a viagem dos seus sonhos. É importante que essa seja a primeira etapa do processo para que assim disponha de tempo para levantar a bufunfa.

Mas atenção: se o dinheiro não cai do céu para você e nem brota na hortinha vertical do seu apê, saiba que vai ter que dar uma rebolada para conseguir a grana que precisa ao menos para os básicos. Pode ter que abrir mão da gelada todo fim de semana, do sonhado iPhone que agora está em promoção ou do show que finalmente veio para a cidade onde mora.

Viajar é real o seu objetivo? Então faça dela uma prioridade, não arranje justificativas. Nós meros mortais assalariados precisamos fazer alguns sacrifícios em nome do que queremos às vezes, mas se é seu real desejo, valerá à pena.

Garimpe

Essa regra do garimpar para encontrar o melhor preço aprendi com a minha mãe. Não aplico a regra nas muambas como ela indicava, mas para a viagem tem funcionado muito. Trabalhe bem a paciência porque às vezes encontrar o melhor negócio tem a ver com saber procurar.

Não escolha o primeiro produto/serviço que lhe oferecerem ou a primeira promoção que surge no seu feed do Facebook por comodidade ou para poupar tempo. Quem poupa numa coisa, acaba compensando o gasto em outra.

Se o objetivo é economizar na viagem, pesquise. Verifique todas as opções disponíveis e analise o custo-benefício de cada uma. Hoje temos o poder de decisão sobre a compra porque existe uma variedade de ofertas. Use seu poder com sabedoria.

Busque meios alternativos de hospedagem

Foi-se o tempo em que a única opção que tínhamos ao viajar era ficar em hotéis. Existem hoje muitas opções alternativas de hospedagem para quem preza pelo bolso:

Airbnb

A plataforma queridinha do momento tem feito muita gente poupar dinheiro. Seja juntando-se a alguns amigos para rachar a diária de um apartamento ou alugando só um quarto. O Airbnb já está presente na bagatela de 191 países, então é uma certeza de que vai encontrar um cantinho para te abrigar na maior parte do mundo.

Hostels

Minha opção xodó. O albergue foi uma das primeiras alternativas ao modelo tradicional de hospedagem, tanto que o nome lembra “hotel”. Engana-se quem pensa que se hospedar em albergue é passar sufoco dividindo um quarto com 15 pessoas, lidar com bagunça ou temer pela segurança de seus pertences.

Existe uma gama vasta de hostels, alguns inclusive oferecendo quarto privativo. Se gosta do clima jovial e descontraído que incita a interação com outros viajantes, haverá um hostel que atenda suas necessidades.

Para você que viaja com frequência, saiba que rola até uma carteirinha de desconto de alberguista promovida pela Hostelling International. Você adquire a carteirinha por R$30 anuais e tem 10% de desconto em diárias de albergues parceiros da rede HI pelo mundo, desde que reservado diretamente com eles (e não por intermediários como a Booking).

Work Exchange (Trabalho x Hospedagem)

Você sabia que dá para trocar trabalho por hospedagem (e em alguns casos até descolar refeições)? O Work Exchange te permite trabalhar em hostels, pousadas, fazendas, comunidades sustentáveis, entre outros lugares.

Esse modelo te oferece um lugar pra dormir em segurança em troca de você dedicar algumas horinhas de trabalho em áreas como recepção, limpeza, cozinha, agricultura, ensino, edição de vídeos, fotos, gestão de mídias sociais, carpintaria, jardinagem, artes, esportes, etc.

Alguns sites intermediam seu contato com empregadores mundo afora, geralmente cobrando uma taxa que pode ser anual ou pontual a cada acordo que fecha. É o caso do Worldpackers, Workaway, Helpx e o WWOOF, este último sendo voltado exclusivamente para trabalho em fazendas orgânicas.

Esses são os principais e mais conhecidos, mas existem muitos outros caso queira seguir a dica 2 de garimpar. Outras opções são o Working Traveler, HelpStay, Hostel Travel Jobs, Global Work & Travel e o Hippohelp.

Além de conseguir poupar grana, esta pode ser uma oportunidade incrível para criar vínculos com residentes do local e desenvolver novas habilidades. É atribuir ainda mais valor à sua viagem e viver experiências genuínas.

Couch Surfing

Que tal a opção de cair no sofá de alguém? A opção pode até parecer estranha a princípio, mas existe uma plataforma que gira em torno deste conceito e que ganha cada vez mais espaço.

O Couch Surfing funciona assim: você se cadastra na plataforma, pesquisa pelas opções disponíveis, entra em contato com o anfitrião e reserva sua estada. Tudo isso de maneira gratuita através da plataforma online.

Existe um cuidado em relação à segurança através de métodos para verificar da reputação do anfitrião. Pode ser através do perfil, experiências passadas com outros viajantes ou contato com um time de segurança da empresa.

É um movimento que tem crescido bastante e revolucionado a forma como as pessoas viajam. A comunidade desenvolveu laços de amizade e companheirismo que constantemente transforma viajantes em novos anfitriões.

Acampamento

Viajando para um destino voltado para o ecoturismo ou turismo de aventura? Considere experimentar uma noite de sono em um estilo diferente: acampando! Joga a barraca e o saco de dormir dentro do mochilão e se aventure.

Se acha que abdicar de estruturas básicas como banheiros seja forçar demais a barra, considere alugar um espacinho em uma área de camping. Existem locais com toda uma estrutura que envolve banheiro, cozinha e até vestiário para que tenha uma experiência de contato com a natureza sem abrir mão de algum conforto.

Considere até contatar aquela mina maneira que conheceu na sua última viagem e que mora no destino que planeja visitar, vai que ela tem um quarto sobrando. Ou então adotar o estilo roots e dormir no seu carro (dependendo do nível de segurança de onde estiver, é claro).

Vale (quase) tudo para economizar na hospedagem, que pode representar uma boa porcentagem do gasto da sua viagem. Além de que, cá entre nós, em viagem a gente só entra no quarto pra dormir.

Domine a arte de comprar o aéreo

Ah, passagens aéreas. Essas queridas indispensáveis e por vezes tão inflexíveis. Saiba que há alguns macetes para tentar driblar o preço altíssimo delas.

Existem pesquisas que indicam uma queda de preços nas passagens na compra aos sábados e domingos. Não é nunca garantido, mas na dúvida tente. Vai que. A regra do garimpo também é válida: pode utilizar sites de comparação de preços como o Decolar, o MaxMilhas ou o Expedia, mas se lembre de checar também os sites oficiais de companhias aéreas.

A antecedência da compra também pode influenciar; para voos nacionais, tente comprar com 30 a 35 dias de antecedência (exceto em períodos de alta demanda como feriados e férias escolares, em que se recomenda uma antecedência maior). Já para voos internacionais considere o dobro da quantidade de dias.

Apesar dessas dicas, a verdade é que basicamente são dois os fatores-chave para conseguir um aéreo econômico:

Flexibilidade

  • Faça simulações de compra com dias diferentes de viagem.
  • Viajar no fim de semana pode sair mais caro, então dê prioridade para os dias de semana;
  • As decolagens aéreas pela noite e madrugada tendem a ser mais em conta;
  • Há uma variação de preços a depender de fatores como número de dias entre o voo de ida e volta, data da viagem, número de escalas do voo, o destino de ida combinando com de volta, etc.; teste diferentes possibilidades para encontrar o menor preço.

Monitoramento

Existem diversos sites e aplicativos que auxiliam o monitoramento do preço de passagens, onde pode salvar uma pesquisa específica e receber notificações quando os preços oscilam. É o caso do Google Flights, Skyscanner, Kayak, FlightAware, Voopter, Flightradar, Momondo e muitos outros.

Mantenha em mente também que existem algumas companhias aéreas internacionais low cost, ou seja, que oferecem voos mais baratos (é claro, com a perda de algumas regalias como despacho de bagagem). Algumas delas são a Easy Jet e a Ryanair.

Bônus:

Você brazuca, sabia que dá pra voar de graça com a FAB (Força Aérea Brasileira)?

Você não leu errado! Desde que seu destino seja dentro do território brasileiro, é possível viajar gratuitamente em uma aeronave da FAB. Para isso, você precisa fazer uma inscrição no Correio Aéreo Nacional (CAN) na localidade onde deseja embarcar.

As vagas estão sujeitas à disponibilidade de assentos e da própria aeronave com rota para o destino que deseja. Caso surja a disponibilidade, eles entrarão em contato com você no dia ou véspera do embarque. É assim mesmo de supetão, então esteja preparado.

São 16 destinos disponíveis no total e é preciso entrar em contato com uma das unidades para saber maiores informações, por exemplo quanto à restrição de bagagens. No site eles disponibilizam telefones de contatos em todas as regiões brasileiras.

Aproveite promoções relâmpago

Sabe aquele moço no mercado que berra uma promoção vez ou outra e você corre para colar a etiquetinha no produto? Em viagens rola um esquema assim também, por isso é importante que esteja ligado nos canais certos de divulgação.

Lembra há alguns meses quando rolou aquele bug e foram anunciadas passagens de ida+volta para Nova Iorque por R$755 com taxas? Pois é, a promoção só ficou no ar por pouco tempo e o erro logo foi percebido, mas teve gente que conseguiu comprar e ser muito feliz.

Independente do erro, a lição aqui é: você pode economizar para caramba estando online na hora certa. Por isso sempre recomendo que acompanhe e ative notificações de sites como Melhores Destinos, Viaja Net, Melhor Embarque e Passagens Imperdíveis.

É importante ressaltar que às vezes promoções apresentam algumas restrições quanto à bagagem, escalas, horários, etc. Então fique ligado nisso antes de comprar para não ter nenhuma surpresa indesejável depois, beleza?

Domine a arte de comprar moeda estrangeira

Em tempos modernos, o câmbio tem sido nosso bicho-papão mais temido, né? Mas como não iremos deixar de viajar por causa disso (assim esperamos), temos que pensar em meios para atenuar o impacto da oscilação de câmbio.

Primeiramente, planeje-se para comprar a moeda estrangeira com antecedência, assim pode dividir a tarefa em diferentes momentos e não ser pego de surpresa com um súbito aumento (alô dólar chegando a R$4,20!).

Outra sugestão é monitorar as oscilações de câmbio através de sites como o Investing; nele você especifica a quantia “ideal” a que gostaria de comprar o dólar e o site te envia uma notificação quando ela é atingida.

O Melhor Câmbio também funciona como um ótimo buscador de preços. O Banco Central oferece um ranking que informa uma taxa média diária do câmbio e empresas fintechs como a Cambiar e a Bee Câmbio permitem que você pesquise a quantia e compre na hora.

Considere pacotes de viagem

Existem diversas agências de viagens que se popularizaram justamente com a proposta de facilitar (e baratear) a sua viagem. Além de ser uma ótima opção para aqueles que não amam ter que planejar a viagem, optar por um pacote de viagem pode ser a opção mais barata em alguns casos.

A sugestão é que após definir o destino, trace os elementos básicos que vão compor a viagem: passagens + hospedagem + passeios + outros. Faça um orçamento destes elementos individualmente e então some todos para chegar a um valor cheio.

Com a quantia final em mãos, peça um orçamento a uma agência ou pesquise opções de pacotes já definidos para comparar se vale à pena comprar o pacote ou não. Lembre-se sempre de checar com mais de uma agência.

Compre com antecedência

A antecedência pode ser nossa melhor amiga de verdade. É uma dica antiga que continua valendo muito para quase tudo. É válida para transporte, data da viagem (caso coincida com a alta temporada), ingressos para eventos, entradas para atrações, aluguel de carro, etc.

Ela garante não só um precinho camarada como também a disponibilidade do produto ou serviço que busca adquirir. Além de que, quando pesquisamos e nos programamos com antecedência, descobrimos pechinchas que não teriam sido desvendadas se tivéssemos optado por fazer tudo às pressas.

Pesquise a possibilidade de descontos e gratuidades

Sabe aquela dica bacana de comprar ingressos da Broadway mais baratos? Comprar naqueles famosos postos da TKTS não é a única maneira de obtê-los; existe a loteria virtual, a compra no site Playbill e até a possibilidade de comprar ingressos mais baratos e assistir o show de pé.

Em algumas atrações como museus é possível conseguir ingressos mais baratos ou gratuitos em alguns dias e horários específicos da semana. Em outros é possível visitar no esquema “pague o que desejar” diariamente ou também em datas específicas.

Dependendo de sua naturalidade, pode conseguir alguns descontos em atrações de destinos nacionais. E dependendo da sua idade, você também pode ter descontos em alguns casos.

Conheça a ID Jovem

Já ouviu falar na Identidade Jovem? É um documento digital criado pelo governo que oferece benefícios a jovens entre 15 e 29 anos que possuem renda familiar de até dois salários mínimos e estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – CadÚnico.

O cadastro é feito no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de sua cidade e no caso de aprovação, é gerado um número NIS (Número de Identificação Social). Este será usado para criar a ID Jovem que inclui benefícios para eventos culturais e esportivos, gratuidades e descontos para passagens de transportes coletivos.

Após o cadastro, você já pode emitir a sua ID a partir do aplicativo ou do site oficial do programa. Você pode imprimir e plastificar o documento ou comprová-lo pelo app na hora da compra.

No caso de descontos em passagens de ônibus ou trem, o benefício é válido somente em trajetos interestaduais. São duas vagas gratuitas por viagem e uma vez preenchidas, são liberadas mais duas com 50% de desconto. A compra deve ser feita com o mínimo de 3 horas de antecedência.

Utilize cupons de desconto

Hoje em dia encontramos a possibilidade de utilizar cupons de desconto nos mais diversos momentos e em viagem é possível economizar em muitas coisas ao utilizá-lo: na reserva de hospedagem, na contratação do seguro-viagem, em passeios e até na compra de moeda estrangeira!

Fique atento a blogs de viagem que geralmente apresentam parcerias com alguns fornecedores e também a sites de oferta de cupons como o Groupon, Méliuz e Peixe Urbano além do Hotel Urbano e Viajar Barato que se especializam em viagens.

Atente à sazonalidade

Se você está minimamente familiarizado com a lei da oferta e demanda, sabe que os preços nos destinos podem variar bastante dependendo do período em que visita. Isso vale desde passagens aéreas e hospedagem até valores nos restaurantes locais.

Se você pode brincar com as datas de sua viagem, não hesite em fugir dos períodos de alta temporada, fim de ano, datas comemorativas e festivais. A diferença de preços entre um período outro pode ser decisiva para a execução da sua viagem.

Organize-se em grupos

Geralmente quando estamos em um grupo, conseguimos dividir bem melhor os gastos e evitar que pese tanto no bolso. Se você estiver viajando sozinho, não se acanhe: puxe assunto com a galera do hostel e forme vínculos.

Por exemplo, quando fazemos um passeio que envolva um aluguel de um veículo 4×4, o valor pago pelo aluguel é corriqueiramente o valor cheio, então se conseguir juntar um grupo para o passeio, podem rachar o preço entre si.

O mesmo é válido para você que prefere fazer um passeio mais organizado com uma agência ou um guia individual. Um passeio privativo custa mais do que aquele regular em que se junta com uma galera e sai explorando a cidade – nestes casos, dá até para fazer amizades.

Lembra da sugestão lá de cima sobre fazer amigos de diversas partes do mundo e o benefício na hora de precisar um sofá para cair? Networking é tudo, até mesmo em viagens.

Cozinhe sua própria comida

Essa opção pode ser complicada para quem não se dá com o fogão, mas é sempre uma sugestão válida. Se o lugar em que se hospedou oferece um espaço propício, que tal fazer umas comprinhas no mercado e cozinhar para si ao invés de comer fora todo dia?

O horário de almoço geralmente é bem corrido e pode ser difícil que volte para seu local de hospedagem só para comer, mas ao fim do dia pode economizar preparando uma refeição caseira antes de sair para curtir a noite.

Há algumas facilidades para quem não quer ter muito trabalho. Alguns lugares oferecem opções baratas e saudáveis como saladas prontas em potinhos; pode optar também por fazer uma versão personalizada de um arroz maluco, um omelete ou uma massa com vegetais.

Só não vai encher a mala de miojo, falou? A saúde agradece.

Abuse do transporte público

Aproveite bastante as opções de transporte público da cidade ou considere alugar uma bicicleta para explorar o destino. Deixe o Uber ou táxi de lado e faça bom uso do metrô ou do tradicional busão.

Fique atento aos bilhetes locais econômicos. Por exemplo, em Nova Iorque existem aqueles passes de 7 ou 30 dias em que paga um valor X e pode utilizar o metrô quantas vezes quiser dentro daquele período.

Uma opção também é colocar as perninhas para funcionar enxotando a preguiça. A forma mais deliciosa (e barata) de conhecer uma localidade ainda é desvendando seus mistérios a pé.

Participe de grupos online

Junte-se a diversos os blogs e páginas onlines sobre o destino que deseja visitar; dá para aprender bastante com experiências de outros viajantes e inclusive ficar por dentro de dicas dos próprios residentes.

Às vezes surge uma oportunidade de economia pontual que você só vai conhecer se tiver contato com quem está ou mora no local ou quem acabou de voltar. Por vezes, um local planeja um descontão ou eventos especiais em função de um aniversário ou dentro de um período de baixa temporada.

Não descarte também o download de guias virtuais de viagem. Sabe o Nova Iorque para Mãos de Vaca? Pelo nome sabemos bem ao que o documento se propõe. Assim como ele, outros guias de viagem podem te dar muitas dicas para economizar no lugar para onde vai.

O ideal é reunir o máximo de informações possíveis para potencializar a economia.

Considere outros estilos de viagem

Não existe mais só o modelo do viajar a lazer durante as férias do trabalho. Dependendo da sua disponibilidade de tempo, pode considerar outros estilos que por vezes auxiliam no objetivo de economizar na viagem.

Intercâmbio

Você pode escolher um intercâmbio de acordo com um objetivo adicional ao de viajar. Pode ser para trabalho, o aprendizado de um idioma, uma qualificação profissional, etc. Existem diversas agências de intercâmbio que podem te ajudar nisso e uma opção barata para você jovem de até 30 anos é a AIESEC.

Au Pair

Se você tem afinidade com crianças, uma boa escolha pode ser trabalhar como Au Pair (babá). É uma das opções mais baratas de intercâmbio, te permite viver em outro país com uma família residente e ainda ganhar dinheiro por isso.

Existem empresas que auxiliam seu processo a partir de um cadastro numa plataforma e o pagamento de uma taxa. Ali você entrará em contato com famílias anfitriãs para encontrar aquela ideal para você.

Os requisitos são: ter entre 18 e 26 anos, experiência com cuidar de crianças, disponibilidade para morar no mínimo um ano em outro país, um bom nível de inglês (ou a língua oficial do país escolhido), ter uma carteira de motorista, não possuir antecedentes criminais e possuir diploma de ensino médio.

Cruzeiro

Quer viajar o mundo e trabalho pesado não te assusta? Pode considerar trabalhar a bordo de navios de cruzeiro. Nesse esquema, você trabalhará todos os dias através de turnos e não tem direito à folga. Um contrato pode durar de seis a nove meses.

Existem diferenciadas funções dentro do navio que variam entre recepção, room service, limpeza, entretenimento, fotografia, tour, cozinha, bar, restaurante, entre outros. É requerido um nível de inglês que varia conforme a posição e idiomas adicionais para funções específicas além de experiência prévia.

Você ganhará em dólar a bordo e terá oportunidade de conhecer em média 10 países por contrato. Algumas agências de recrutamento intermediam seu contato com companhias marítimas sem cobrar nada por isso.

A maior delas é a Infinity Brazil. Existem também outras companhias como a Portside, ISMBR, Rosa dos Ventos e a Valemar. Você pode também realizar diretamente o cadastro em inglês nos sites das companhias marítimas.

Trabalho Remoto

Aposto que já deve ter ouvido falar no conceito de “nômade digital”, certo? Este esquema de trabalho remoto vem ganhando destaque e hoje representa um objetivo de vida para muitas pessoas.

Você pode adaptar sua função atual para trabalhar de maneira remota no caso de várias áreas como redação, tradução, fotografia, consultoria, ensino e muitas outras. A única regra é ser criativo e se empenhar no que deseja.

Uma alternativa é também negociar com seu atual chefe ou empresa para desempenhar o seu trabalho de modo remoto. Assim não precisa reconfigurar o que faz, é só fazê-lo de uma forma diferente e igualmente eficiente. E é claro, ainda é possível você empreender e desenvolver o seu próprio negócio de maneira remota.

Existem sites de incentivo a este modelo de trabalho como o Remote Year, o Jobbatical e o Roam.

Trabalho Temporário

Você conhece o working holiday visa? É um tipo especial de visto que te permite trabalhar por um período específico em um país com a condição de que não trabalhe para o mesmo empregador por mais do que três meses.

Esse modelo itinerante de trabalho pode ser uma opção para você que quer viajar por um período longo e precisa de recursos para tal. Para brasileiros, o único visto neste estilo disponível é o da Nova Zelândia.

As inscrições para o visto são abertas uma vez ao ano e são disponibilizadas 300 vagas. No ano de 2018 aconteceu em agosto e a forma para conseguir é mesmo na sorte: você tem que correr para fazer o cadastro e pagar a taxa (208 dólares neozelandeses para brasileiros) antes das vagas se esgotarem.

É bem difícil de conseguir de primeira vez porque é bastante gente tentando. Contudo, caso você realize o preenchimento do cadastro uma vez e não consiga o visto, pode tentar mais uma vez no próximo ano e seus dados já estarão salvos no sistema (o que facilita sua nova chance).

Os requisitos são: ter entre 18 e 30 anos, não ter recebido este tipo de visto antes, contratar um seguro-saúde pelo tempo de estada e possuir comprovação de que deixará o país no fim da validade do visto. Para ingressar no país, também é necessário possuir a quantia de NZ$4200 para cobrir o período em que estiver por lá.

Adote o mantra da flexibilidade

Esteja disposto a se adaptar. Pode parecer um conceito vago, mas pode ser o mais importante. É possível que precise abrir mão de um conforto ou outro para enxugar alguns custos.

Exemplo: uma promoção de passagem aérea super em conta, mas a condição é passar 6 horas no aeroporto do Panamá. Parece grave demais? Repensa aí, vai. Leva um ebook, prepare uma longa playlist no Spotify ou leve seu travesseirinho de viagem e descanse as pestanas. O custo-benefício pode compensar bastante.

Outra dica importantíssima é: abra mão de algumas regalias durante a viagem. Evite gastar rios de dinheiro com bebidas alcóolicas ou compras exorbitantes. Parte do objetivo de economizar na viagem envolve autocontrole de nossa parte e ele precisa estar afiado para conter gastos.

Viu que dá pra economizar na viagem de diversas maneiras, né? Se viajar é o que quer, é só arregaçar as manguinhas, programar-se e meter o pé na estrada.

Então já não vale mais espalhar por aí que só gente rica viaja. Tem mochileiros aos montes por aí – presente! – te provando o contrário e te ensinando a fórmula de sucesso.

Quer mais dicas para a sua viagem? Não deixe de consultar a aba Dicas aqui no blog e se deliciar com mais sugestões.

Banner para marketing de afiliados no blog Negra em Movimento.

Segurança: caso esteja pesquisando seguro viagem para sua próxima aventura, compre com a Seguros Promo.

Comprando com as empresas através desses links, você contribui com o blog sem pagar nada a mais por isso. Essa é a política do marketing de afiliados, em que produtores de conteúdo podem ganhar uma comissão a partir de associação com empresas específicas.