Harvard: a cidade universitária que nos pede para ficar

Localizada em Cambridge no estado de Massachusetts (EUA), Harvard é a universidade americana mais antiga com fundação em 1636. Faz parte da renomada Ivy League, a conferência desportiva pela NCAA (Associação Atlética Universitária Nacional), e é até hoje uma das universidades líderes em educação a nível global.

Harvard é aquele tipo de lugar que ouvia falar em filmes e que fazia parte do imaginário hollywoodiano com que convivemos. Claro que hoje tenho muito mais consciência de que existem fatos historicamente glorificados e como isso resultou em ideais nocivos, mas admito que a oportunidade de visitar este lugar carregou para mim um significado gigantesco.

É uma cidade que se formulou em resultado à universidade e ainda que exista muitas questões a se fazer sobre o modelo universitário americano, a importância de Harvard é uma certeza.

Região que abriga algumas das Residências Estudantis.

Como eu chego?

Cheguei ao local partindo de Boston e utilizei o metrô. Estava hospedada próximo ao Boston Common Park no centro da cidade, então peguei o metrô na estação Boylston, que faz parte da linha verde, no sentido de Lechmere e desci na estação seguinte, Park Street.

Dali peguei o metrô da linha vermelha no sentido “Alewife” e desci na estação “Harvard”. A saída da estação fica próxima aos portões da universidade, então não tem erro para encontrar o destino.

Se estiver localizado em outro lugar de Boston, ainda assim será bem fácil se locomover de metrô. Ele é bem servido com quatro linhas (azul, verde, laranja e vermelha) por toda a cidade que se conectam bem e há sempre mapas explicativos nas estações.

Confira aqui a postagem sobre minha visita à Boston.

As linhas de metrô de Nova Iorque levam a fama por serem assustadoras, mas preciso acrescentar que achei as estações de Boston mais sinistras. Eu lembro que quando desci pela primeira vez na estação de Boylston quis correr (rindo de nervoso). As estações são, no geral, bastante antigas e gritam por uma revitalização; as marcas do tempo são perceptíveis.

Também há ônibus no trajeto Boston-Cambridge, mas assim como eu falei na postagem anterior sobre Boston, o tráfego na cidade tem estado complicado. Em termos de transporte público, o metrô é a melhor opção.

Caso queira ir de carro, tenha em mente que existem poucos lugares para estacionar próximos à Harvard Square, que é a praça principal. Há algumas garagens particulares, mas elas costumam ser caras.

Onde é que vou dormir?

Minha visita à Harvard se deu durante minha estada em Boston, então não pude me hospedar em nenhuma acomodação em Cambridge ou dentro da própria cidade universitária. Deste modo, não posso atestar pela qualidade de nenhuma hospedagem, mas seguem algumas opções para manter em mente caso necessite:

Em Harvard: A Harvard Square é uma praça bem famosa próxima ao campus universitário que reúne algumas opções para alimentação, diversão e hospedagem. Algumas opções que encontra na região são o Sheraton Commander Hotel, Harvard Square Hotel, The Charles Hotel, Veritas Hotel e o Bed&Breakfast Irving House.

Em Cambridge: Há três hotéis da rede Marriott: o Marriott Boston Cambridge, Courtyard Cambridge e o Residence Inn. Além disso, encontra também o Holiday Inn Express & Suites, o Freepoint Hotel e o Porter Square Hotel.

O que tem de bom?

Em Harvard a coisa mais deliciosa a se fazer é provavelmente andar pelo campus em busca de captar o máximo possível da experiência universitária. O Harvard Yard (Jardim de Harvard) é o carro abre-alas de quem visita e você provavelmente vai utilizar alguns bons minutos nele só contemplando (e provavelmente não querendo parar).

Tours guiados

Há alguns tours a pé a escolher se preferir ouvir a história na íntegra partindo de um guia. Há algumas empresas que organizam walking tours particulares pelo campus como a Hahvahd Tour e existe também o walking tour público ministrado por alunos da própria universidade.

O tour público comporta até 14 pessoas no ato da visita; caso esteja em um grupo de 15 pessoas, precisa realizar uma reserva com um mínimo de duas semanas de antecedência. Informações sobre horários e dias específicos do tour podem ser checados no calendário online da universidade.

O tour parte do centro de informações de Harvard e dura uma hora. O centro de informações fica no fim da Rua Dunster, no Smith Campus Center, e funciona de segunda à sábado de 9h às 17h e em alguns feriados.

Lamont Library

Explore por conta própria

Caso opte por explorar o campus por você mesmo, pode comprar panfletos-guia no centro de informações. Ou então fazer o download de áudios com informações históricas sobre os edifícios.

Há também uma opção bem bacana de guia que é o Mobile Tour. O aplicativo disponível para iPhones e Androids serve quase como um waze, guiando-lhe através do campus até edifícios relevantes e fornecendo o histórico de cada um deles de maneira interativa com fotos e vídeos.

Atrações no Campus

Caso queira bisbilhotar tudo no seu ritmo, seguem algumas opções para conhecer no campus de Harvard.

Harvard Yard

O Jardim de Harvard é a parte mais antiga do campus e funciona como o seu centro histórico. Ali fica a maior parte dos dormitórios dos calouros, edifícios formados por salas de aula e departamentos e várias construções históricas do local.

Prédios Históricos

Ainda que não haja mais nenhum prédio datando do século XVII, pode-se encontrar ainda de pé alguns do século XVIII. O Massachusetts Hall (1720), a Casa Wadsworth (1726) e a Capela Holden (1744) são os mais antigos. O Hollis Hall data de 1763 e hoje serve como um dormitório.

Há também o Harvard Hall (1766), o Stoughton Hall (1805), o Holworthy Hall (1812) e o University Hall (1812) ficam localizados no chamado “Jardim Antigo”. Não deixe de conferir a Igreja Memorial, o Lampoon, o Memorial Hall, o Sever Hall, a Livraria Lamont e a Livraria Widener, nomeada em homenagem à Harry Elkins Widener que faleceu durante a tragédia do Titanic.

A grandiosidade da Memorial Church e eu.

John Harvard Statue

Uma estátua tão polêmica que foi apelidada de “A estátua das 3 mentiras”. Gosta de uma intriga histórica? Vem conferir logo três:

  • Não há nenhuma representação ou imagem de quem John Harvard realmente era. O artista Daniel Chester French utilizou o advogado e membro do Congresso Americano Sherman Hoar como modelo para desenvolver a escultura. Isso mesmo, a estátua do John Harvard não reproduz o verdadeiro o John Harvard.
  • Na estátua, está inscrita que a data de fundação da universidade foi 1638, mas na verdade foi 1636. A universidade primeiramente recebeu o nome de “New College” e só ganhou o título famoso que conhecemos em 1939. Um erro honesto, vai.
  • Sabe o John Harvard que fundou a universidade cujo nome ele carrega? Ele não fundou Harvard. Nunca nem pôs os pés na universidade, simplesmente foi o primeiro beneficiário, tendo doado boa parte de sua fortuna e livros para o local. A universidade foi fundada através de voto pela Corte Geral da Colônia de Massachusetts.

Se esses bafões históricos não te fizerem sedento por checar de perto a tal estátua, nada mais vai. Ela fica localizada no Harvard Yard e com certeza estará cercada de turistas buscando por uma foto com “John Harvard”.

Museus

Os museus de Harvard existem em enorme variedade e não funcionam somente como coleção de relíquias como abriga artefatos que alunos e professores podem realmente utilizar para suas pesquisas e aulas.

Segura a listinha abaixo de alguns museus abertos à visitação por lá:

  • Harvard Museum of Natural History;
  • Peabody Museum of Archaeology & Ethnology;
  • Harvard Semitic Museum;
  • Collection of Historical Scientific Instruments;
  • The Harvard Art Museums (Museu Fogg (1895), o Museu Busch-Reisinger (1903) e o Museu Arthur M. Sackler Museum (1985).

Harvard Square e Arredores

A praça principal da cidade que reúne restaurantes, bares, pubs, livrarias, etc. Tire um tempinho para explorá-la e também dar uma caminhada pelas ruas. A cidade tem uma vibe singular que merece ser vivenciada sem pressa.

Uma cidade universitária, veja só. Ela tem uma atmosfera à parte deste mundo e funciona numa linha do tempo que é só dela. Eu andava por lá encantada com cada milímetro daquele lugar e ir embora partiu meu coração.

Andar pelas ruas era quase como estar dentro de uma pintura.

Lembretes amigáveis:

  • Harvard pode fazer seu coração dançar de alegria dentro do peito, mas lembre-se que é um campus universitário. Tem gente tentando estudar e promover conhecimento por lá, então é bom lembrar de respeitar o espaço dos alunos, beleza? Tente não se amontoar pelos caminhos deles e nem tirar fotos invasivas.
  • Também nada de tentar espiar os alunos pelas janelas dos edifícios ou fotografar lá dentro. O lugar funciona como casa para algumas pessoas, então nada de ultrapassar os limites da privacidade, né?

Em resumo, Harvard é um sonho que habita nosso imaginário e a oportunidade de transformar o ideal em real foi um presente. Recomendo que quem visite em Boston dê uma fugidinha em Cambridge para conhecer essa delícia de cenário.

E então, Harvard faz parte do seu sonho também? Conta aqui embaixo.

Banner para marketing de afiliados no blog Negra em Movimento.

Segurança: caso esteja pesquisando seguro viagem para sua próxima aventura, compre com a Seguros Promo.

Comprando com as empresas através desses links, você contribui com o blog sem pagar nada a mais por isso. Essa é a política do marketing de afiliados, em que produtores de conteúdo podem ganhar uma comissão a partir de associação com empresas específicas.