Sobre Harvest Caye, Belize: um oásis de tranquilidade e beleza

Foto capa da postagem sobre Harvest Caye no blog Negra em Movimento.

Harvest Caye em Belize se tornou facilmente o meu porto favorito em meu último contrato no navio. Tecnicamente faríamos Caribe e Europa, mas por conta da pandemia, a Europa não cheguei a ver (triste, eu sei).

Eu gosto de praias, mas não sou apaixonada a ponto de não enjoar. Cinco meses num contrato visitando praias não foi ideal, porque eu gosto de conhecer e explorar as cidades e nunca havia tempo para tal. Harvest Caye foi a exceção.

Primeiras impressões

O local é uma ilha privada que pertence à Norwegian Cruise Line, companhia de cruzeiro para a qual eu trabalhava, e fica localizada no sul de Belize.

A ilha é pequena, mas tão bem estruturada que você não acreditaria que cinco mil pessoas desembarcavam ao mesmo tempo lá tamanha a paz encontrada.

O mais bacana desse porto é que os estabelecimentos, os funcionários e até mesmo os materiais usados na construção são locais de Belize. As lojas que vendem souvenires abrigam peças artesanais, em sua maioria.

O porto é extenso (mais ou menos 15 minutos de caminhada desde o navio até a entrada do porto), mas ele é todo coberto como proteção do sol e também existem carrinhos que levam pessoas com mobilidade reduzida da entrada até o navio e vice versa.

Ao adentrar o porto, existe uma área que joga spray de água nos visitantes garantindo assim que eles se refresquem logo ao chegar. É um espaço voltado para o relaxamento, calmaria e tranquilidade. Basicamente todos os tripulantes adoravam porque era um merecido refresco em meio à trabalho e barulho todo o tempo.

O porto de Harvest Caye abriga uma área grande com piscina, a praia, restaurantes e bares bem como uma área com bangalôs para quem queria desfrutar o dia de forma ainda mais privada (pagando a mais por isso), que também conta com uma área da praia exclusiva.

Foto sobre a postagem de Harvest Caye no blog Negra em Movimento.

O que fazer por lá?

Relaxe na praia ou na piscina

Definitivamente o que mais fazem em Belize é relaxar. O cenário é convidativo demais para ignorar essa opção. Existe piscina e brinquedos aquáticos para crianças, bem como o complexo de piscina para adultos e, é claro, uma praia bem calminha e sem ondas.

Visite o Parque Natural

Existe um santuário que abriga vida selvagem dentro da ilha e você pode visitá-lo gratuitamente. Assim, lá poderá ver cobras, tucanos, araras e outros pequenos animais. Há também um borboletário que é a coisa mais maravilhosa do mundo!

Aventure-se com o zipline

O zipline em Harvest Caye parte do bonito farol que há na ilha e você perpassa a área do porto, tendo uma visão privilegiada. Essa atividade custa aproximadamente 90 dólares para adultos.

Aproveite para fazer kayaking ou paddleboarding

Na ilha, você também encontra uma lagoa onde pode fazer kayaking ou paddleboarding. Ambas as atividades também são pagas, mas quando estava por lá não passavam da faixa dos 20 dólares.

Estenda o passeio até a mainland (cidade principal)

Caso queira explorar Belize mais a fundo, é possível pegar um barco partindo da ilha e realizar outros passeios — ou até mesmo contratar serviços de uma agência. Há passeios de barco, visita a um templo Maia, e outras atividades.

Sempre falo sobre a minha perspectiva entre turismo responsável e o turismo de cruzeiro, e o quanto eles geralmente são distantes um do outro — o que me causava bastante ansiedade como tripulante.

Harvest Caye, no entanto, é um caso de sucesso quando falamos sobre responsabilidade. Os locais parecem envolvidos nesse processo, ainda que intrinsicamente o lucro maior fique com a companhia — sabemos, afinal, como a lógica capitalista funciona.

Falando em dinheiro, inclusive, é importante informar que Harvest Caye não é um local barato para comer e beber. Combram-se taxas adicionais e elas pesam no valor final, muito também por ser um lugar remoto.

De todo o modo, caso realize um cruzeiro com a Norwegian e deseja um roteiro pelo Caribe, eu recomendaria que sua escolha inclua Harvest Caye. Sem dúvidas, é um oásis.