Como praticar o turismo responsável e consciente

Foto capa da postagem sobre como praticar o turismo responsável no blog Negra em Movimento.

Nada melhor do que aproveitar esse momento de pausa para aprimorar as nossas ações, não é verdade? Podemos repensar a forma como viajamos. Desse modo, praticar o turismo responsável é a melhor solução.

Já existe uma postagem extensa sobre turismo responsável aqui no blog, onde pude destacar práticas nocivas que são ainda hoje empregadas na atividade turística em alguns lugares.

Dessa forma podemos entendê-lo como a iniciativa de garantir que a prática do turismo seja realizada em concordância com a consciência ambiental, social, cultural, geográfica, política e financeira das localidades.

Mas como você pode verdadeiramente praticar o turismo responsável?

Planeje

Uma boa forma para começar (quase) qualquer coisa é através do planejamento. Logo após definir o destino para onde vai, pesquise sobre como ele lida com questões sustentáveis e responsáveis em concordância com a atividade turística.

Isso pode facilitar muito a sua vida caso esteja pensando em praticar o turismo responsável de forma planejada pela primeira vez. Caso o destino não tenha medidas responsáveis definidas, isso significa que não pode ir? Não, é claro que ainda pode ir.

A única diferença é que, se de fato estiver comprometida com o seu objetivo, precisará adaptar suas práticas por conta própria — e quiçá abrir mão de alguns confortos no meio do caminho.

Além disso, você pode sempre priorizar estabelecimentos e empresas que atuem seguindo as diretrizes do turismo responsável. Opte por roteiros e serviços daqueles que trabalham alinhados aos valores que você busca em sua viagem.

Mude sua forma de deslocamento

Caso esteja realizando um percurso curto, considere utilizar um ônibus ao invés de um avião. Ou então em trajetos longos, priorize os voos diretos.

Muito se fala sobre os altos índices de emissões de carbono causados por aviões e se estiver dentro de suas possibilidades minimizar esse mal, opte por fazê-lo.

Uma vez no destino, busque utilizar o transporte público sempre que possível. Caso goste e possa pedalar, que tal alugar uma bicicleta e conhecer o lugar de modo diferente?

Por fim, viaje devagar. Quando você reserva um tempo de qualidade no destino, pode conhecê-lo verdadeiramente e além de tudo, reduz os impactos causados pelo deslocamento de um lugar para o outro.

Priorize o que é local

Coloque a imersão na cultura local como uma de suas prioridades na viagem.

Agende seus passeios com empresas ou pessoas físicas da região, consuma o comércio local e faça suas refeições em restaurantes locais, preferindo pratos e frutas da estação.

Isso movimenta o dinheiro entre os residentes, gerando renda e oportunidades de trabalho bem como ajudando a população a se manter.

Atente para a hospedagem

Caso tenha começado pela primeira dica de planejamento, talvez já tenha em vista estabelecimentos que atuam de maneira responsável no destino.

Assim sendo, evite se hospedar em estabelecimentos construídos em Áreas de Preservação Permanente. Devemos evitar regiões como beiras de rios, lagos, praias, topos de morros, encostas inclinadas, restingas, manguezais e outros ecossistemas frágeis.

Tenha em mente também que optar por hospedagens mais próximas às atrações que deseja visitar auxilia na economia de transporte e redução da emissão de poluentes.

Revolucione o seu necessário

Repense o que é de fato indispensável durante a sua viagem.

Existem diferentes formas de transformar as suas ações para manter somente aquilo que de fato será necessário para você:

  • Evite o troca-troca extensivo de toalhas e enxoval do hotel. Provavelmente não precisará da substituição diária dos itens, assim economizará água e energia;
  • Desconecte aparelhos da tomada e apague as luzes ao deixar o quarto da hospedagem;
  • Evite carregar muitos itens na mochila, assim evitará que se canse muito e será mais fácil se deslocar por transporte público para fazer passeios;
  • Evite imprimir bilhetes de avião, cartões de embarque, etc. Em papel mantenha somente o que precisará apresentar impresso, de resto o mundo digital pode poupar as nossas árvores;
  • Opte por comprar bens duradouros e evite surtos de compras. Talvez não seja preciso comprar souvenires para os seus 50 familiares em todas as viagens;
  • Não desperdice comida. Caso tenha colocado em seu prato uma fruta no café da manhã e não for comer na hora, guarde como lanchinho durante o passeio.

Leve roupas práticas

Na hora de fazer a mala, que tal utilizar o método Marie Kondo de arrumação? Leve a quantidade certa de roupas, priorizando roupas neutras para formar diferentes looks com poucas peças.

Ao viajar leve, existe a possibilidade de conseguir viajar somente com mala de mão e economizar dinheiro, caso esteja viajando com uma companhia de baixo-custo.

Além disso, pouparia o tempo que esperaria por sua mala surgir na esteira e evitaria o risco de seus pertences serem extraviados.

Uma mala pequena e leve também é excelente para o trâmite de organizar suas coisas no deslocamento entre um destino e outro.

Por fim, escolha para a sua mala peças de roupas as quais não precisará passar, assim reduzirá também o consumo de energia na hospedagem.

Substitua 

Sempre que possível, substitua sua garrafa e/ou copo descartáveis pelos reutilizáveis. Isso também é válido para as sacolas plásticas que leva para a praia para recolher seu lixo, que sobretudo podem voar para o mar e ser ingeridas pela fauna marinha.

O plástico é um componente que leva centenas de anos para ser decomposto na natureza, então é sempre importante substitui-lo se possível. No blog Viajar Verde, existe uma postagem super útil com dicas para viajar sem plástico.

Respeite a fauna

Tenha consciência de ações que podem prejudicar a vivência da fauna local. Ou seja, não toque em animais selvagens nem alimente animais que não deve alimentar, por exemplo.

Além de tudo, tenha o discernimento a respeito de atividades que colocam as vidas de animais em risco ou acontecem graças ao maltrato desses animais.

Na outra postagem sobre práticas nocivas aqui no blog, cito muitos exemplos de passeios turísticos perigosos para a fauna que devemos evitar.

Respeite o ambiente 

Essa dica é com certeza bem manjada, mas extremamente importante. Perceba que “respeitar o ambiente” envolve muitas ações e noções que nem sempre pensamos ser relevantes.

Entre elas estão recolher o seu próprio lixo, respeitar regras estabelecidas (ainda que não concorde com elas), não ir a lugares onde a visitação pública é proibida e não retirar nada do local. O slogan “só leve lembranças, nada mais” deve ser aplicado.

Ouça e respeite as opiniões de pessoas locais, principalmente se te advertirem a respeito de alguma ação, não subestime ou ofenda a população e nem utilize estereótipos sobre residentes.

Principalmente ao visitarmos um local cuja cultura é muito diferente da nossa, precisamos ter cuidado para atribuir respeito a ela.

Cuidado com o volunturismo

O trabalho voluntário é, sem nenhuma dúvida, uma atitude nobre e necessária em um mundo desigual. Contudo, existem muitas iniciativas que acabam sendo mais prejudiciais do que benéficas àqueles que requerem ajuda.

Por isso, tenha bastante cautela quando decidir realizar um trabalho voluntário enquanto viaja. Existem plataformas sérias onde pode pesquisar empresas que fazem um trabalho consciente, como a Global Volunteers e a Global Vision International.

Praticar o turismo responsável é completamente possível e também bem mais fácil do que imaginamos.

Com boa vontade e um pouco de planejamento, conseguimos reduzir os impactos negativos que a atividade turística causa e ampliar nossa visão de mundo.

Você já pratica alguma dessas ações em suas viagens? Me conte algo que você já faz que ficou fora da lista aqui nos comentários!

Banner para marketing de afiliados no blog Negra em Movimento.

Segurança: caso esteja pesquisando seguro viagem para sua próxima aventura, compre com a Seguros Promo.

Comprando com as empresas através desses links, você contribui com o blog sem pagar nada a mais por isso. Essa é a política do marketing de afiliados, em que produtores de conteúdo podem ganhar uma comissão a partir de associação com empresas específicas.