Roteiro de 3 horas em São Francisco

Foto capa da postagem sobre São Francisco no blog Negra em Movimento.

Visitar São Francisco era um sonho que nutria há muitos anos, assim como Nova Iorque, e trabalhar a bordo me deu essa oportunidade — em um tempo curto.

Tive exatamente três horas para explorar a cidade e sanar o meu desejo, por isso tinha que fazer o tempo valer. Consegui conhecer mais do que eu esperava porque São Francisco é uma cidade grande com cara de pequena, era fácil se deslocar por lá.

Sabia mais ou menos o que queria explorar, então montei um roteiro considerando todos os pontos e o tempo que tinha. Assim comecei do local mais longe do pier, e fui fazendo o trajeto de volta com paradas específicas.

Tudo foi feito a pé/de ônibus — e no ônibus paguei uma única passagem (US$2,25) porque o ticket servia para ida e volta.

Ah Gabi, você não andou nos famosos cable cars (bondinhos)? Eu até queria, mas ao ver a fila e o estimado tempo de espera desisti. Estava correndo contra o relógio, né? Mas eles cortam diversos pontos da cidade, então observei de longe — e filmei, é claro.

Já adianto que minhas memórias fervorosas dos percursos na cidade são: a arquitetura victoriana impecável da maioria das casas e das ladeiras. Amigues, as ladeiras com inclinação quase vertical não são para amadores.

Vem conferir:

Mirante para Golden Gate Bridge

Impossível pensar em São Francisco sem pensar em sua principal atração turística, não é mesmo? Sabia que não teria tempo para atravessá-la nem mesmo chegar até ela, então tratei de escolher um ponto em que pudesse vê-la e tirar boas fotos.

Existem diversos pontos em que pode observar a ponte em diversos ângulos como o Crissy Field, Coit Tower, Twin Peaks, Baker Beach, Lands End, etc. Pensando na facilidade de deslocamento, escolhi ir até o Centro de visitantes da Golden Gate e fui até lá utilizando um mini-ônibus que peguei no centro da cidade.

A vista de lá foi incrível e super recomendo para quem quer a vista e não tem muito tempo! Além do mirante, existe um centro de informações turísticas, uma loja e um café.

Palace of Fine Arts no blog Negra em movimento.
Palace of Fine Arts

Palace of Fine Arts

Enquanto pesquisava sobre a cidade, encontrei umas fotos de uma arquitetura belíssima que me deixou de queixo caído. Descobri que ela ficava próximo ao centro de visitantes e assim me programei para ser minha próxima parada.

Eu não podia ir andando porque o caminho era de uma pista só para veículos, então peguei o mesmo mini-ônibus na direção contrária e desci na primeira parada. Sem sombra de dúvidas, o Palace of Fine Arts foi o que mais me impressionou.

Ele foi construído para a exibição de artes na Exposição Universal de 1915, que visava celebrar a construção do Canal do Panamá. Contudo, o monumento é uma arte que ganhou vida própria.

Sou completamente louca por projetos arquitetônicos e penso que eles são altamente fotografáveis, assim foi difícil me convencer a deixar o local. Se eu acreditasse nisso de visitas obrigatórias, com certeza diria que essa é uma.

Presidio of San Francisco

Eu também sou a louca dos parques, então ao sair do Palace of Fine Arts e me deparar com um parque lindo bem de frente, tive que fazer um adendo ao roteiro.

Apesar do nome sugestivo, o Presidio of San Francisco é uma área de recreação popular que reúne centros culturais, trilhas e parques. O lugar é de uma beleza inacreditável — ideal para uma tarde tranquila com um bom livro e contato com a natureza.

Presidio of San Francisco no blog Negra em movimento.
Presidio of San Francisco

Lombard Street

Eis que chega a atração mais difícil do meu roteiro. Ao deixar o parque, chequei no mapa que a famosa Lombard Street (aquela rua bem curva com decoração de flores nas calçadas) ficava perto dali e resolvi ir a pé.

Grande-erro. Tanto no quesito tempo quanto no quesito cansaço nas pernas.

Aparentemente essa rua só é famosa para turistas que pesquisam sobre a cidade porque perguntei para no mínimo umas 10 pessoas durante o caminho e ninguém sabia me apontar onde era.

Talvez tenha sido também o fato de que todas as pessoas com quem interagi na cidade tenham sido pouco solícitas — até hoje não sei se dei pouca sorte ou se é de fato característica da população de lá.

Com a graça divina consegui chegar, sem surpresa estava cheia de turistas, mas infelizmente acessei a rua de modo errado.

Explico: para pegar o ângulo bacana com todas as curvas, é preciso acessar a rua pela parte debaixo porque ela é uma ladeira. De cima sua visão fica prejudicada. Eu não tinha tempo para descer e subir de novo, então tive que me contentar com o que tinha.

Fica aí a dica para que façam diferente.

Ghirardelli Square

De ônibus novamente, tentei pagar a passagem e o motorista disse que o meu ticket ainda servia (3 trajetos com um único ticket!). Assim voltei ao centro e me direcionei até à Ghirardelli Square.

É uma praça com edifícios de tijolos onde se localiza a famosa Fábrica de Chocolate Ghirardelli, o hotel Fairmont Heritage Place, a Escola de Queijos de São Francisco bem como outros restaurantes e lojas.

É um lugar perfeito para ter uma euforia gastronômica e também para fazer compras se essa for sua vibe.

Ghirardelli Square e Fisherman's Wharf no blog Negra em movimento.
Ghirardelli Square e Fisherman’s Wharf

Fisherman’s Wharf / Pier 39

O Fisherman’s Wharf foi minha última visita, indo a pé desde a praça. O local era um porto de pescadores e foi totalmente remodelado nos anos 70. Ele compreende a área entre a Ghirardelli Square e o Pier 39, uma área de lazer que é muitíssima frequentada por turistas quando visitam a cidade pela primeira vez.

Os bondinhos partem do Fisherman’s Wharf até o centro. Na região também encontra o aquário, o USS Pampanito (submarino que virou museu), o parque marítimo histórico-nacional, o shopping Cannery além de lojas e restaurantes.

Se estiver por lá, não deixe de provar o Clam Chowder, uma sopa de mariscos que é servida no pão sourdough, típico da cidade. Principalmente no frio, essa delícia desce que é uma beleza.

São Francisco é um local bem gostoso de visitar e graças à sua característica de ladeiras, é possível ter bonitas vistas da cidade em diferentes pontos.

Caso esteja pesquisando sobre outras cidades nos Estados Unidos, não deixe de checar as roteiros em Boston e no Brooklyn.