Quero trabalhar em cruzeiro: o que fazer?

Foto capa de postagem trabalhar em cruzeiro no blog Negra em Movimento.

É possível que você conheça alguém ou alguém que conheça alguém que aceitou este desafio que é trabalhar à bordo de um navio de cruzeiro. Trabalhar em cruzeiro pode até parecer um real conto de fadas, mas a realidade contém algumas peculiaridades.

Dessa forma nesta postagem o objetivo é abordar de maneira geral o que é preciso saber antes e para aplicar para trabalhar a bordo.

Mais para frente vou dissertar mais a fundo sobre minha experiência trabalhando na companhia Norwegian Cruise Lines, detalhando o processo de aplicação, entrevistas, embarque e, é claro, a experiência a bordo.

Caso você esteja considerando engatar nesta aventura, existem algumas dicas importantes que podem te auxiliar como também te informar melhor sobre o que o processo inclui. 

Para saber quais são é só continuar lendo:

Conheça a vida à bordo

Inegavelmente a informação é a base de tudo, não é mesmo? Aqui não seria nada diferente. Trabalhar em cruzeiro é não só um investimento financeiro como também de tempo e ouso dizer resistência.

O ideal é que conheçamos o máximo possível da vida que nos espera lá dentro para que não tenhamos nenhuma surpresa desagradável ou arrependimento.

Rotina de trabalho

Em resumo trabalhamos todos os dias sem folgas por turnos que podem variar entre qualquer horário do dia; o número de horas trabalhadas fica em torno de 8 a 12 horas por dia (o excedente deve ser pago por meio de hora extra).

Não é incomum ouvir relatos de pessoas que trabalham horas a mais em determinadas funções, porém, embora infrinja o acordado no contrato. Contudo, isso pode variar bastante a depender da companhia marítima que te contratar e da posição que ocupa.

Contrato

O contrato em navio de cruzeiro dura em média de 6 a 9 meses, com possibilidade de extensões por pedido do tripulante ou necessidade da companhia.

Ademais existem algumas funções que podem ter um tempo diferenciado de contrato, como é o caso do Youth Staff Seasonal, que trabalha com entretenimento de crianças por um período de 2 a 3 meses.

Caso ocorra alguma emergência (questões médicas pessoais ou familiares, por exemplo) que requeira sua volta ao país antes do término do contrato, poderá solicitar um work break (intervalo de trabalho) de algumas semanas ou meses a depender da emergência e depois retornar ao trabalho de acordo com a disponibilidade da vaga.

Itinerários

Os roteiros dependerão da companhia e do navio em que estará, mas é possível conhecer a bagatela de 9 países em um contrato. Há alguns navios que fazem uma rota entre poucos destinos por alguns meses também. É uma ótima opção para quem quer conhecer o mundo economizando, como menciono nesta postagem, mas os destinos pelos quais o cruzeiro passará são relativos e você só terá conhecimento depois de receber sua data de embarque.

Contudo, existe também o chamado Port Manning, que é basicamente uma escala rotativa de permanência no navio quando ele está atracado no porto. É uma medida para garantir que em caso de emergência haverá um grupo de tripulantes a bordo para orientações e procedimentos de segurança de acordo com a função designada de emergência. Ou seja, talvez haja portos que não consiga visitar se for o seu dia de Port Manning.

Salário

Em sua maioria, recebemos o nosso salário em dólar sem descontos. A forma mais comum de pagamento tem sido feito através de um cartão de saque; seu dinheiro é depositado ali pela companhia e você pode sacá-lo em qualquer lugar do mundo. Também há a possibilidade de receber a quantia em espécie.

A depender da posição, pode ser comum que as horas extras pagas sejam parte de sua rotina bem como gorjetas ou comissões, mas estes são adicionais não fixos.

Gastos

Uma das maiores vantagens em trabalhar em cruzeiro é a economia que consegue aplicar por não precisar ter gastos tradicionais com aluguel, despesas domésticas, contas, entre outros. As necessidades básicas são fornecidas pela companhia e você terá gastos somente com extras como passeios, refeições fora do buffet servido para a equipe, bebidas alcóolicas e compras.

Alimentação

As refeições são oferecidas no refeitório (apelidado de “crew mess”) para os tripulantes em horários específicos diariamente e em algumas posições, também pode haver horário de acesso ao buffet em que os hóspedes comem (a depender da companhia).

Dormitório

A depender da companhia, da posição que ocupará e do tamanho do navio, o estilo de seu dormitório pode variar entre cabine individual (com banheiro compartilhado ou não) e compartilhada com 1, 2, 3, 4 e mais pessoas. Em navios pequenos geralmente tanto crew quanto staff dividem cabine com ao menos outra pessoa e em posições como Housekeeping e Bar esse número pode ser consideravelmente maior.

É importante manter a mente aberta especialmente neste quesito. Dividir um quarto com outra(s) pessoa(s) por meses não é a opção dos sonhos, mas pode ser um dos desafios a enfrentar na vida a bordo.

Áreas Comuns

Os navios geralmente possuem lavanderias com máquinas de lavar, secadoras, tanques, ferros e tábuas de passar em que pode cuidar de suas roupas. Alguns contam com espaços de recreação (computadores, mesa de sinuca, etc.), bar, academia e até deques externos.

A depender da disponibilidade e da administração, em alguns navios também é possível ter acesso a alguns restaurantes e bares destinados aos hóspedes, realizar tratamentos no spa, ter acesso à academia dos hóspedes ou realizar compras nas lojas do navio com desconto para tripulante; isso varia de companhia para companhia e navio para navio.

Internet

A internet a bordo é um artigo de luxo; além de extremamente cara, ela é rapidamente consumida e é preciso ser muito cuidadoso com seu uso, do contrário todo o seu salário será destinado a ela. Existem diferentes planos que envolvem uso de dados, ligações e mensagens por megabyte ou por minutos a depender de sua preferência. Todas as as opções são caras, porém, e a velocidade não é algo a se elogiar.

Assistência Médica

Há um hospital a bordo onde é possível realizar exames, consultas, conseguir remédios prescritos de acordo com os sintomas além de contar com instalações para internação caso necessário.
Os exames/cirurgia que hospital do navio não realiza eles mobilizam toda a logística e leva o tripulante até algum hospital no porto mais próximo.

Regras

Por último, tenha em mente que a vida a bordo é extremamente regrada e que exige disciplina em termos de conduta e segurança. É uma rotina que envolve treinamentos e simulações de emergência e que requer foco, paciência e comprometimento.

Pesquise relatos

Se estiver ponderando se trabalhar em cruzeiro é ou não para você, é importante fuçar o máximo de conteúdo a respeito que você conseguir, principalmente relatos de pessoas que já viveram a experiência. Nada melhor do que opiniões reais sobre a vivência em alto mar, tanto as positivas quanto as negativas para que possa medir bem os prós e contras.

Para isso informe-se através de:

  • Sites e blogs como o Ship Life;
  • Canais no Youtube;
  • Grupos e Comunidades Online;
  • Tradicional boca a boca.

Familiarize-se com a vida à bordo, com os requisitos básicos que são esperados de você, e com a rotina geral (que qualquer função terá) no navio. Neste momento você entenderá se deseja prosseguir com o processo seletivo que pode ser demorado e dispendioso. 

Procure ter o máximo de certeza de que é a vida que quer, veja relatos, vídeos, pergunte para os amigos que já foram e amaram e os que foram e nunca mais querem pisar em um navio. Reúna o máximo de informação possível antes de tomar sua decisão. Importantíssimo: Familiarize-se com os preços e gastos que poderá ter com todo o processo antes de começar a trabalhar de fato.

Conheça o processo seletivo

Pré-requisitos

Os pré-requisitos para trabalhar em cruzeiro variam a depender da função, da companhia e do público que esta companhia atende, mas de maneira geral são estes listados abaixo:

  • Possuir ao menos 18 anos (a depender da companhia, a idade mínima pode ser 21 anos;
  • Ter algum domínio de inglês (a fluência depende da posição pretendida);
  • Estar fisicamente apto a desempenhar a função;
  • Ter alguma experiência na área desejada.

A depender da posição pretendida, os requisitos podem ser mais rigorosos, geralmente é o caso de posições “staff” como a área de Vendas, Recepção, Recreação, Excursões e Administração por exemplo.

No caso de áreas técnicas, pode-se exigir uma formação acadêmica específica e para áreas artísticas como Música, Fotografia e Teatro geralmente pede-se também um teste ou trabalho prévio para análise de desempenho.

Funções

Dentro do navio existem três categorias de funções que funcionam na base de pirâmide hierárquica, são elas: officer, staff e crew.

Officer

Nesta categoria se encontra o grupo de pessoas que supervisiona as operações náuticas e mecânicas dentro do navio e que respondem diretamente ao capitão do navio. Eles recebem os maiores salários, possuem autoridade sobre outros tripulantes e possuem diversas regalias a bordo. Eles geralmente também possuem contratos menores (+/- 3 meses).

Staff

Consiste em um grupo de tripulantes nos departamentos Cruise Programs (Entretenimento a bordo) como Recreação e Box Office, Excursões, Recepção, Spa, Vendas, Administração, Fotografia, Arte, entre outros. 

Geralmente são posições de contato direto com cliente, que permitem acesso a áreas comuns dos hóspedes dentro do navio e com horários mais flexíveis. A depender da companhia e navio, também podem incluir o benefício de ter uma cabine individual.

Crew

Grupo de tripulantes nas áreas de Bar, Limpeza, Cozinha, Serviço de Quarto, Carpintaria, Encanação, entre outras. Geralmente são funções com salários mais baixos, mas que possuem possibilidade maior de ganho de gorjetas (desde que seja uma posição Front of the House, ou seja, com direto contato com o hóspede). 

Possuem acesso limitado a áreas comuns dos hóspedes (com exceção do período de trabalho) e geralmente só podem fazer refeições no refeitório para tripulantes. Em sua maioria, possuem longas jornadas de trabalho (10-12 horas), longos contratos (8-10 meses) e dividem cabines com 1 ou mais pessoas.

Familiarize- com as vagas disponíveis, suas descrições e seus requisitos muito bem antes de tomar sua decisão. Esteja ciente de suas habilidades, suas limitações, e trabalhe com elas, não as subestime ou superestime.

Sempre haverá alguém contando a história de um conhecido que conseguiu a vaga dos sonhos que pedia 4 idiomas e a pessoa falava somente inglês ou que conseguiu trabalhar em uma posição determinada sem possuir experiência.

Este tipo de conto (no caso de ser verdade) irá depender muito da companhia escolhida e também da agência de recrutamento utilizada. Recomendo sempre a honestidade porque seu trabalho será avaliado e seu desempenho é garantia para fazer um novo contrato (ou não). É melhor sempre dizer a verdade, mesmo que sinta que isso te levará por um caminho mais longo. Só sinceridade, fechou?

Formas de aplicação

Existem basicamente duas formas de aplicação para uma vaga para trabalhar em cruzeiro: a mais comum é buscar por uma agência de recrutamento e a segunda aplicar diretamente no site da companhia marítima desejada.

Se for sua primeira vez, a opção mais fácil seria através de uma agência de recrutamento; a maioria delas não cobra nada a mais por isso e assim será melhor orientado durante todo o processo e terá um leque maior de empresas para a chance de contratação.

Por agência:

Entre as agências de recrutamento estão:

  • Infinity Brazil (a maior delas, contrata para mais de 20 companhias);
  • ISBMR (contrata para Azamara, Celebrity, Costa, Pullmantur e Royal Caribbean);
  • Portside (contrata somente para a companhia Costa Crociere);
  • Rosa dos Ventos (contrata somente para a companhia MSC);
  • ValeMar (contrata somente para a companhia MSC);
  • Openseas (contrata somente para a companhia Princess Cruises e cobra taxa adicional).

Existem também agências internacionais como a Cast-a-way e agências especializadas em contratação para departamentos específicos no cruzeiro como a Duffry (depto de vendas), Steiner (spa e academia) e The Image Group (fotografia).

As entrevistas com agências geralmente acontecem por Skype (evitando necessidade de locomoção entre estados) e possuem diversas etapas: cadastro pelo site, 1ª entrevista com a agência, entrevista com a companhia marítima (também por Skype), processo de pré embarque e embarque; a depender da posição pode haver mais etapas.

Entre em contato com todas se assim desejar, atentando sempre se suas expectativas e requisitos estão de acordo com o que a agência pode oferecer. Por exemplo se uma agência só trabalha com uma companhia italiana e requer ao menos italiano básico como requisito, não adianta se inscrever se não é um idioma que domina.

Por conta própria:

Caso opte por contratar a companhia diretamente, as opções são diversas e seguem abaixo as companhias marítimas mais populares:

  • Carnival Cruises;
  • Celebrity Cruises;
  • Costa Crociere;
  • Disney Cruise Lines;
  • Holland America Line;
  • MSC;
  • Norwegian Cruise Line;
  • Oceania Cruises;
  • Princess Cruises;
  • Pullmantur;
  • Regent Seven Seas;
  • Royal Caribbean International.

O processo geralmente é também de cadastro pelo site, fazendo upload de currículo, e aguardar o contato da companhia para o agendamento de entrevista. Não há garantia de que será chamado e nem um tempo médio para resposta; esta é uma boa opção para ex-tripulantes que querem retornar à vida a bordo, principalmente se já possuem contatos na área.

Despesas

Outra parte importantíssima sobre o processo de aplicação é a quantidade de despesas que ele envolve e para o qual precisa se preparar (e preparar o bolso). De modo geral, pode considerar os seguintes itens como parte das despesas do processo:

  • Passaporte (R$260);
  • Visto C1D Americano (quando requisitado, custa 160 dólares);
  • Exames Médicos (em torno de R$800-900, a depender do laboratório em que a companhia pedir os exames);
  • Treinamentos de segurança (STCW, CFPN ou SSA, em torno de R$1500-2000);
  • Teste online de proficiência em idiomas (quando requisitado);
  • Passagem aérea (quando não custeada pela companhia);
  • Diversos (documentação e autenticação, bagagem, etc.).

É essencial manter em mente que este é um trabalho para o qual precisará pagar antes de receber, ponto. Há muita gente que se frustra com o dinheiro gasto, mas se é o que busca e o objetivo que almeja, este dinheiro é um investimento que lhe será retornado.

No caso do meu processo específico, por exemplo, com a companhia Norwegian Cruise Lines, os meus gastos foram relativamente pequenos. Já possuía o passaporte, eles custeiam as passagens aéreas e os cursos obrigatórios de treinamento são oferecidos pela própria companhia a bordo, ou seja, não precisei pagar por eles.

Minhas despesas reais foram com o visto C1D e os exames médicos, que foram reembolsados pela companhia quando embarquei, e o teste de proficiência em inglês (Marlins Test, que custou 20 dólares no final de 2018). Existem eventuais despesas não previstas, as vezes, mas no caso da companhia abraçar muitos destes gastos, tudo já fica bem mais fácil. Isso varia de companhia para companhia, porém.

Paciência

E um componente que faz parte integral do processo para trabalhar em cruzeiro é a paciência. E não é exagero repetir isso umas três vezes, porque pessoalmente no meu processo este foi sem dúvidas o meu maior investimento de todos. 

No meu processo parecia que tudo que podia dar errado estava dando e que os processos de todos engatavam menos o meu. E isso pode acontecer, alguns processos são extremamente rápidos e outros demoraram e na maior parte das vezes não temos nenhum controle sobre isso.

Mentalize energias positivas, faça orações, faça uma saudação ao sol, o que é que seja sua praia. Ou simplesmente deposite toda a sua fé e confiança em si mesmo (que, cá entre nós, é um poderosíssimo amuleto). Não desista se é isso mesmo o que deseja porque quando houver de ser seu, será, e sua data de embarque chegará.